quarta-feira, agosto 12, 2009

A Basf e a suástica

Símbolos nazistas foram encontrados em pichações na orla, Avenida Ogunjá e Cidade Baixa. A suástica foi introduzida na frase: “A Basf não esquece seu passado”.
.
Segundo informações da Tribuna da Bahia, a diretoria da Basf – empresa química alemã, instalada no Polo Petroquímico de Camaçari – acredita que o ato tenha partido de integrantes do Sindicato dos Químicos Petroleiros (Sindquimica), em oposição a medidas adotadas pela empresa, que reduziu a jornada de trabalho e o salário dos funcionários, em decorrência da crise financeira.
.
Para o advogado criminalista Antonio Glorisman, o ato pode ser considerado crime de discriminação, na medida em que o símbolo nazista, associado à Basf, enquadra a empresa como uma instituição autoritária e até mesmo criminosa. “É uma afirmação muito grave, pois ninguém quer o seu nome associado a nazismo, que foi um desastre para a humanidade”, destaca.
.
O uso da suástica era associado pelos teóricos nazistas à hipótese da descendência cultural ariana dos alemães. Seguindo a teoria da invasão ariana da Índia, reivindicavam os nazistas que os primeiros arianos naquele país introduziram o símbolo, que foi incorporado nas tradições védicas, sendo a suástica o símbolo protótipo dos invasores brancos. Também acreditavam que o sistema de castas hindu tinha sido um meio criado para se evitar a mistura racial. (Informações de Roberta Cerqueira)

5 comentários:

clau_dios_ibere@hotmail.com disse...

devemos obiserva com bastante atenção.pois a justificativa da enpresa basf foi muito vaga considerando que os simbolos espalhados na cidade de salvador vinculado ao nome da empresa e a suástica simbolo nazista, quando deveria ser o simbolo de anti-nazi(a suástica com a tarja negra em cima).E mais a fraze "não esquesemoos o nosso passado" soa mais como auto-afirmação que o nazismo não " morreu", do que uma fraze de protesto de operarios.
A comunidade Baiana não adimitira que o movimento nazista conhecido hoje como neo-nazismo, se infiltre no nosso estado como ja ocorre em outras regioes do pais

JaCoNa disse...

Rapaz, eu vi uma pichação dessas na entrada da estação da lapa, mas já tinha visto em outros lugares... Eu fiquei com medo, confesso! POr saber que a democracia racial é um mito e que tem muita gente louca e perversa temi por mim, temi por todos os baianos... epnsei que fosse uma seita nazista qualquer avisando o futuro dos negros/homossexuais da Bahia... Sabendo agora de que se trata, que a tal BASF é uma empresa e que, aparentemente, pessoas ligadas ao sindicato fizeram isso por não s econformarem com uma situação, eu digo: foi ridiculo! Existem outras formas d eprotestos, formas que não aterrorizem a população nem sujem a imagem de ninguem... e tenho dito

Anônimo disse...

Não se enganem quanto o movimento nazista em Salvador, pois ele infelizmente existe e não são poucos...

Anônimo disse...

O maior terror é viver sob domínio do medo, medo do sub-emprego, medo da violência, medo da demissão. O povo vive sob diversos medo e tapa os olhos para não ver porem não deixa de senti-los.

Qual seria a outra forma de protesto? Ir em uma praça isolada falar no mega-fone?

Esperar que o direito estabeleça as regras para se reivindicar algo é suicídio político, a vida é isso, arriscar é preciso.

Anônimo disse...

Deve ter sido realmente algum grupo radical, que se sentiu prejudicado de alguma forma contra a Basf, pois a Basf fez parte da IG Farben que era uma conglomerado de empresas do ramo quimico no periodo da 2 guerra mundial onde elaboraram e fabricaram o gás Ziklon B, que foi utilizado nos campos de concetração nazista para o exterminio de milhares de Judeus....como algum grupo deve ter sido prejudicado pela empresa, então decidiram "sujar" a imagem da mesma.....